Fugindo do Carnaval em Nova York
América do Norte Estados Unidos Nova York Viagens Restaurante

Fugindo do Carnaval em Nova York

Avaliações

0 média baseada em 0 avaliações

  • Excelente
    0
  • Bom
    0
  • Razoável
    0
  • Ruim
    0
  • Péssimo
    0
Ficamos 1 semana em Nova Iorque, durante o período do Carnaval de 2012. Ainda no Brasil, reservamos um shuttle no site
( link ) que nos levou do aeroporto para o hotel. O hotel(link), localizado na rua 37 em Midtown, entre a quinta e a sexta avenida,
facilitava para ir andando pela Broadway até a Time Square. Manhattan é dividida em três área, Uptown, Midtown e Downtown, as veias verticais são avenidas com números ordinais, crescendo do leste para oeste ( primeira avenida, segunda avenida, etc ). As veias horizontais são ruas com números cardinais, como rua 37, rua 42 etc, aumentando debaixo para cima. Nesse site tem uma explicação mais abrangente sobre isso.

Como chegamos cedo, o dia do desembarque já foi o primeiro, então passeamos pela “Big Apple” começando pela Herald Square, onde fica a Macys, depois subimos a quinta avenida e fomos andando passando pela Biblioteca Pública de Nova Iorque, Rockefeller Center, Trump Tower e Apple Store. A atração principal foi assistir a peça do Rei Leão, no Minskoff Theatre na Broadway. A peça é extraordinária, com um cenário, figurino e músicas que trazem uma realidade incrível para o espetáculo. Esse show já está em cartaz há anos e como a história é um clássico que todos conhecem, fica mais fácil para quem tem alguma dificuldade com o inglês.(link)

No segundo dia fomos logo cedo para Woodbury, um grande outlet que fica fora de Nova Iorque, que tem bons preços e lojas de marcas famosas. Você pode ir de ônibus pegando no terceiro andar do Port Authority ( segue uma orientação nesse site ) ou alugar um carro. Por ser longe, de 1 hora à 1hora e 30 minutos de viagem, você usará 1 dia da sua viagem com compras, para nós foi válido, conseguimos comprar as roupas que queríamos, além de encomendas etc.

No Terceiro dia, fomos na BH Photo & Video, a loja enorme, ficando na esquina da rua 34 ela é a maior loja de equipamentos de foto e vídeo dos EUA. A loja tem toda a máquina e acessórios de fotografia que puder imaginar. A loja é judaica e não abre aos sábados, e, por já atender o mercado brasileiro há muitos anos, eles tem atendentes bilíngues em português. Já com máquina fotográfica nova em mãos, partimos para a Brooklyn Bridge, mas antes demos uma paradinha para almoçar em Little Italy, na famosa pizzaria Lombardi’s, a primeira pizzaria de Nova York, realmente a pizza é incrível. Pegamos o “subway” para a Brooklyn Bridge, a ponte cruza o East River, e tem um visual muito bonito da Skyline de Nova Iorque e da Estátua da Liberdade. Ao lado da ponte, está Wall Street, com a estátua de bronze do touro ( Charging Bull ) e a estátua de George Washington. Faz-se uma fila enorme para tirar foto da estátua de bronze do touro, além de tocar no saco da estátua, que segundo a tradição, traz sorte. Terminamos na Trinity Church, a igreja de arquitetura Gótica e com um belíssimo altar. Voltamos para Time Square e terminamos a noite lá.
No quarto dia pegamos o ferryboat no “Battery Park” em “Lower Manhattan” e atravessamos até a ilha da Liberdade para conhecer o símbolo da cidade e um dos grandes monumentos mundiais, a Estátua da Liberdade. A grandiosidade da estátua e o significado desse símbolo é admirável. Na volta o ferryboat nos leva até “Ellis Island”, a ilha que fazia a recepção, triagem e inspeção dos imigrantes por mais de 60 anos e hoje abriga o Museu da Imigração. Ao voltarmos para Manhattan fomos conhecer outro símbolo que traz um sentimento totalmente antagônico ao sentido na Estátua. Visitamos o “Ground Zero” ( Marco Zero ), onde fica o memorial em homenagem às vítimas do atentado de 11 de setembro de 2001. Foi construída uma cachoeira no espaço onde ficavam as torres, caindo para uma buraco menor representando um infinito e um vazio chocante. Ao redor foi escrito o nome de cada um dos mortos no atentado e no salvamento. É muito emocionante essa visita. Já escurecendo voltamos para “Midtown” e fomos para o Rockefeller Center, que fica muito bonita com pista de gelo e os jardins iluminados, além da estátua do Prometheus e o Atlas. Subimos para o Top of The Rock, a parte mais alta do prédio 30 Rock ou 30 Rockefeller Plaza, onde tem um deck de observação de Manhattan sensacional, ficamos um tempo admirando e reconhecendo os locais.
No quinto dia de manhã fomos para o Museu Americano de História Natural, já na entrada a estátua de Theodore Roosevelt nos lembra o filme “Uma Noite no Museu” , que referencia nesse museu. O museu é muito grande e muito interessante, já inicia com o temido Tiranossauro Rex ou “T-Rex”, com os fósseis do corpo todo montado, tomando praticamente o espaço de uma ala inteira, só ali já ficamos boquiabertos, depois segue-se por elefantes africanos restaurados, mamutes, artefatos antigos de vários lugares do mundo, o museu é fantástico. No decorrer me vieram outras lembranças de filmes como “Jurassic Park”, pelos fósseis de dinossauros, e da série “Friends” que o personagem Ross Geller trabalha nesse museu. Na parte da tarde fomos para o “The Met – Metropolitan Museum of Art” na quinta avenida, que também é sensacional, com um acervo egípcio incrível, pinturas famosas europeias, relíquias árabes e islâmicas, além de esculturas como as de Rodin, vale muito a visita.

Já no sexto dia, partiu Central Park ! Na entrada resolvemos por fazer o passeio de carruagem pelo parque, o cocheiro te leva em vários pontos históricos e famosos do parque, te explicando tudo, por sorte, o nosso era brasileiro. O passeio foi ótimo, passamos pelos bonitos gramados, lago em homenagem a Jacqueline Onassis, o lugar onde Lennon foi assassinado, entre outros. Depois ficamos um tempo no parque andando, paramos no Bethesda Terrace onde músicos se apresentavam e sentamos na Bethesda Fountain, ou a Fonte do Anjo da Água para ouvi-los e admirar o grande lago. Saímos e fomos visitar a Grand Central Station Terminal, a estação central que abriga a maior quantidade de plataformas do mundo, aproveitamos e almoçamos no restaurante da estação, o Oyster Bar. Dali, fomos para o Empire State Building, subimos ao topo, para ver a cidade de cima. No Rockefeller vimos iluminada à noite, e nesse caso vimos de dia e de outro ponto da cidade, onde vimos o Rio Hudson e o East River, e conseguimos identificar melhor outros locais. Á noite fomos assistir ao musical Chicago na Broadway, que já tínhamos visto o filme com o mesmo nome, e ainda sim, foi bem maneiro, valeu !

No Sétimo e último dia, na parte da manhã antes do checkout, fomos até o MoMa, o famoso museu de arte moderna, que fica entre quinta e a sexta avenida, na rua 53. O museu tem coleções permanentes de Picasso, Andy Warhol, Monet, Pollock entre outros. Eu sempre gosto de visitar museus de arte moderna pois é sempre diferente e interessante. No nosso caso , por estarmos com o NY Pass, estava incluído, mas o preço do ingresso para quem não tem o NY Pass é 25 dólares. Acervo com obras muito conhecidas e outras que como toda obra moderna, temos que sentar e apreciar ou sentar e tentar entender.

Perfeito, cidade com milhões de visitantes de todo o mundo, gigante vida cultural, todo lugar lembra cenas de filme, parque central fantástico, museu fantástico, metrô, vida noturna, arranha céus, casas de show tudo do melhor que uma metrópole pode oferecer para o turista com programação diária. Para o turismo-metrópole, é uma cidade imperdível.

Trips

Cadu Campos

Cadu Campos

Carioca, casado, sem filhos e feliz. Corredor, bebedor inveterado e entusiasta de tecnologia. Sempre disposto a ouvir e agora motivado a escrever. Partiu !

Você visitou recentemente...

Colonia del Sacramento

Punta Del Leste

Montevideo

Bauernfest

Napa Valley